Promover competências de maior complexidade cognitiva

calendario 20 abril 2017   euro 295€ + IVA   relogio 9h30-18h00

 

Consulte o programa em PDF

 

Introdução

Os contextos e os dinamismos daquilo que tem vindo a ser designado por «era digital» conduzem à imperatividade do desenvolvimento, nas pessoas, do que também tem vindo a ser referenciado como «novas competências». Contextos mais complexos e de maior imprevisibilidade exigem, de facto, que as pessoas se dotem de competências de maior «complexidade cognitiva», cuja atualização se traduza em comportamentos que configurem novos padrões de sucesso profissional.
Mas quais são, de facto, as competências mais críticas? E porque é que são essas… e não outras? E porque é que se caraterizam por uma maior «complexidade cognitiva»? Qual é a dimensão e o alcance dos desafios que temos pela frente? Tratar-se-á de um verdadeiro desafio de «fazer coisas diferentes»? Ou afinal poderá limitar-se à fórmula mais securizante de «fazer diferentemente as mesmas coisas»?
No presente workshop é proposta uma reflexão sistematizada e são sugeridas respostas possíveis a estas questões, sendo apresentado e explicado um portefólio de competências transversais de maior «complexidade cognitiva» que cada pessoa é convocada a desenvolver para estar melhor apetrechada para enfrentar com sucesso os novos desafios da «era digital».

 

Objetivos

A participação neste workshop irá permitir aos participantes alcançarem os seguintes objetivos:
- Compreender e saber definir o que é a «complexidade cognitiva» das competências;
- Identificar as circunstâncias específicas da sociedade, das organizações e dos mercados, que conduzem à imperatividade do desenvolvimento, nas pessoas, de competências de maior complexidade cognitiva;
- Compreender a necessidade de levar em linha de conta a importância das emoções para uma melhor atualização de competências de maior complexidade cognitiva;
- Conhecer e analisar a pertinência de um portefólio de seis competências transversais de grande valor acrescentado nas organizações da «era digital»;
- Saber definir as seis competências dos «arcos» autonomia e proficiência;
- Identificar e analisar as condições de aplicabilidade dos modelos «paragógicos» para uma atualização mais rápida e mais consolidada de competências de maior complexidade cognitiva.

 

Programa

1. Competências: a arte de «exceder-se».
2. Atualização de competências ou «revolução de aptidões»: afinal, do que é que estamos a falar?
3. Competências cognitivas: a capacidade para entender e integrar.
4. Complexidade cognitiva: a capacidade para entender e integrar… melhor.
5. O «húmus» emocional: a emoção dirige a cognição para a procura de «um sentido da realidade».
6. Os novos tempos e os imperativos para um novo entendimento.
7. Os dois «arcos de competências core»:
     o Autonomia – uma pessoa mais autodirigida;
     o Proficiência: um stakeholder mais estruturante.
8. Os dois must: pensamento crítico e pensamento complexo.
9. Processos «paragógicos» (peeragogy): para a coprodução de novas competências.

 

Destinatários
Gestores e técnicos de capital humano, responsáveis de programas de desenvolvimento de competências, gestores de academias de empresa e  todos os profissionais que tenham como foco a implementação de programas de mudança organizacional por via da atualização de novas competências.

 

Local de realização
Hotel Real Palácio
Rua Tomás Ribeiro, 115
1050-228 Lisboa

 

Oferta
Gestão e Desenvolvimento de Competências
Org.: Mário Ceitil
Edições Sílabo

 

Valor da inscrição

295€ + IVA (23%)
(inclui almoço, coffee breaks, documentação e oferta de livro)

 

Desconto
10% para 2 ou mais inscrições da mesma empresa | instituição.

 

Formador

Mário Ceitil
Presidente da APG – Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas

Showcases

Background Image

Header Color

:

Content Color

: